Geração

Polaróide

Em 1985
? da madrugada do dia 14 de março
à noite do dia 21 de abril ?
houve um singular e calvarioso eclipse do sol.

Os velhos, as crianças, as mulheres e os homens;
os políticos, os soldados, os juízes e os réus;
os patrões, os operários, os professores e os banqueiros;
os pradres, os empregados, os estudantes e os
[sem-emprego;
os camelôs, os penitentes, as famílias e os bandidos;
os ricos, os artistas, os agiotas e os otários;
os anônimos, os notórios, os que têm pão e os que têm
[fome;
o público, os poetas, os céticos e os condestáveis;
os jornais, os diaristas, as TVs e os solitários;
os situados, os opostos, os neutros e os impostos;
os que dão, os que recebem, os que guardam e os que
[servem;
todos, unânimes, chamaram este sol ocluso
Tancredo de Almeida Neves, presidente.
Depois, quando o astro apareceu de novo,
as pessoas choraram e bateram sua angústia contra os
[desígnios de Deus,
e todos ficamos atônitos com a claridade fria do sol só
[chamado sol.