Novos poemas

Sinais comuns

Na vertigem do cotidiano
solto em redes sociais
de engano
passeio minha sinceridade
tola
por ruas perigosamente virtuais
de uma fatal cidade

Tudo é real e um quase nada
de fantasia veste a realidade
na ficção
quanto mais exponho minha liberdade
preso
mais cresce conectada
minha coletiva solidão