Novos poemas

No ponto

Por muito menos,
deixei a uva doce,
a doce vida,
com tempo,
secar ao sol,
na gamela;
na hora de servir
a fruta-passa,
faltava o doce beijo,
o beijo dela.