Novos poemas

Do amor cativo

Não vi em seus olhos o tema de segredos,
por mais que perscrutasse com a lupa dos ciúmes,
só o que vislumbrei por vales e por cumes
foi a insinuação de histórias, outros enredos.

Pedi-lhe a derrubada dos tapumes
que cercam a obra planejada de seus medos,
ao cabo de viagens, revoltas e degredos,
voltei capturado na rede de costumes.

Por você não pude libertar-me do engano
de achar-me, prisioneiro, em liberdade,
achando superado todo o dano
que o amor produz com lealdade
naqueles em que planta, soberano,
a sua doce e ardente hostilidade.