Novos poemas

Plano de rota

O pulo do sapo
risca em arco
a compreensão
─ entre os pontos
de sair e de chegar ─
de que o trajeto é vazio
das contradições substantivas
que dão forma à duração
e cheio das ausências
de (não) ter sido andado