Novos poemas

Lavoisier revisitado

Pelo saldo
na natureza crua
que para o homem
é também caldo
de cultura
nada se cria
nada se perde
tudo se consome